Loading

Ventura de Azevedo

ventazevedo63@hotmail.com

O CORPO DE ALEXANDRA

Ventura de Azevedo descobriu [a arte da Poesia] para traduzir, escrevendo, a intensidade dos seus sentimentos mais secretos e … num contexto de profunda amargura, por conta da repressão do regime político... mesmo os de pendor lírico...não procurou nem forçou a rima; sente-se que não – e ainda bem.

Derramou a alma sobre o papel, desnudou-se, escreveu-se com autenticidade e falou-nos do amor, do sexo, da paixão, da raiva, da revolta, da intimidade, da frustração, da súplica, da terra, das gentes, da cor da pele, da dor, da vida e da morte.

O autor oferece-nos tudo isso neste livro e, ao longo das suas páginas, comungamos da sua identidade, mesmo que estejamos do outro lado. Ventura de Azevedo mostra claramente a sua africanidade num poema que dói pela exposição das feridas da sociedade em que vive…

Quando um poeta “morde” as palavras com o coração, o resultado só podia ser este: uma obra onde cabem todas as emoções e não só “o corpo de Alexandra”, mas os corpos e a alma de todas as mulheres e homens do mundo.

SALVINA RIBEIRO in Prefácio